Cola derivada do leite, Será?

Será que dá produzir cola do leite?

É isso que veremos na prática de química de hoje. Você pode até querer me perguntar: Mas Graci, e essa cola “cola” de verdade?

Veremos, anote ai os materiais e mãos à obra.

– Vinagre

_ 1 copo de leite

– 1 colher de bicarbonato de sódio

Adicione ao copo com leite o vinagre, sempre mexendo bem. Com isso você vai fazer com que as proteínas do leite se desprenda. em seguida, adicione 1 colher de sobremesa do bicarbonato de sódio. Uma espuma será produzida devido à liberação de CO2. Pronto. Sua cola está feita. Faça o teste e saia colando algumas coisas por aí …

Fácil, né?

E por falar em leite…

A escassez de pastagem e, principalmente, a falta d’água para o consumo animal devido à escassez de chuva na região vem provocando a redução do rebanho leiteiro de gado/caprinos dos Inhamuns. A distribuição de leite de gado e cabra do Programa Fome Zero está ameaçada pelos efeitos da seca que tomou conta do Nordeste brasileiro este ano. Na região do Inhamuns, localizada no sertão do Ceará, pelo menos 2.491 crianças, em oito municípios, poderão ficar sem receber o alimento repassado por um programa em parceria entre o governo Federal e Estadual. A produção de leite é uma das principais atividades econômicas da região.

Fonte: www.farmpoint.com.br

Vamos torcer para que chova bastante no sertão do ceará.

até a próxima prática e qualquer dúvida pode mandar um comentário aqui no blog ou se quiser entrar em contato comigo diretamente manda um e-mail.

Graci

Monitora de Química/graciquimica@yahoo.com.br

 

 

Anúncios
Publicado em Química | Deixe um comentário

Café e Gelo Seco – Prática de Química

Olá,

Você já imaginou um produto 100% natural, sem adição de agrotóxico ou adubo químico, utilizando a biodiversidade da floresta como fator positivo e essencial para sua produção?  Assim é o café ecológico ou sombreado, produzido no Maciço de Baturité.

Em Baturité e Mulungu, a produção de café vem crescendo. Há relatos que o café produzido no século XIX em Baturité era um dos mais   apreciados nas cafeterias francesas.

Fonte: O povo

Hoje a Prática de Química tem tudo a ver com essa deliciosa bebida.

Anote os materiais:

1 xícara/copo de café pronto (líquido)

1 cubo de gelo Seco (comprado nas lojas de Química)

Olha que prática fácil: Nós só temos que adicionar o cubinho de gelo seco ao café e pronto! O resultado é incrível com produção de bolhas. E o melhor é que com o gelo seco podemos fazer práticas variadas e bem coloridas. Olha o resultado dessa mistura aqui no vídeo abaixo.

Fonte: Manual do Mundo

 

agora a explicação:

O café com temperatura alta e a sublimação do gelo seco é tão rápida que forma toda aquela espuma no café. Esse é o efeito de SUBLIMAÇÃO. O gelo-seco é o nome popular para o dióxido de carbono solidificado ao ser resfriado a uma temperatura inferior a -78ºC. Ao ser aquecido na pressão atmosférica torna-se imediatamente gás de dióxido de carbono, sem passar pelo estado líquido (processo conhecido por sublimação). Com a liberação do CO2 formam-se as bolhas que é o que faz a prática tão interessante.

e ai, gostaram?

Graci

Monitora de Química do Ciência Itinerante

Contato: graciquimica@yahoo.com.br

Publicado em Química | Deixe um comentário

Ele nada, mas não é peixe.

Como os estudantes das macrorregiões Litoral Oeste e Sobral-Ibiapaba têm grande contato com a atividade de Piscicultura, resolvi mostrar neste post uns peixinhos diferente, são os peixes-robô.

Começando pelo o peixe robô do japonês Takara Tomy, um brinquedo que parece real. Programado para realizar movimentos aleatórios, ele movimenta a cauda e come imitando um verdadeiro peixe. É uma ótima opção para quem quer tem um animal de estimação, mas vive esquecendo alimentá-lo, já que só precisa colocar as baterias.

Esses outros peixes aqui são mais sérios, desenvolvidos por equipes de pesquisadores, estes robôs ajudam os cientistas nos seus trabalho sobre o meio ambiente.

Robofish, o peixe-robô. Crédito: ScienceDaily.

O Robofish foi criado por cientistas da Universidade de Leeds, na Inglaterra, com objetivo de estudar a dinâmica de grupo de populações de peixes. Controlado por computador, o Robofish é capaz de liderar um cardume. Com isso, os pesquisadores conseguem realizar estudos de dinâmica de populações e fornecer informações úteis para o gerenciamento de áreas costeiras

Já Grace, o peixe robótico da Universidade do Estado de Michigan dos Estado Unidos, é capaz de analisar a água e detectar substâncias tóxicas em rios e lagos. Com sensores instalados, Grace consegue coletar dados a respeito da temperatura e da qualidade da água. Além disso, em seu primeiro teste em 2012, o robô conseguiu indicar locais de derramamento de petróleo ocorridos em 2010. Eficiente esse peixinho!

Deixe o seu comentário.

Publicado em Tecnologia da Informação | Marcado com , | Deixe um comentário

Tecnologia da Informação e o Cultivo de rosas

Dando continuidade ao assunto TI e agricultura, podemos falar especificamente sobre o cultivo de rosas. O Ceará tornou-se nos últimos anos uma referencia nesse tipo de plantação, graças aos tipos de solos propícios existes nas regiões de Sobral-Ibiapaba e Baturité.

Um dos benefícios que a Tecnologia pode trazer para essa economia é a melhora da seleção de variedades florais de melhor qualidade de produção e dotadas de atributos agronômicos desejáveis.

Como é feito isso? Através de pesquisas tecnológicas que fazem o cruzamento das informações sobre os genótipos das flores e verificam quais espécies apresentam maior rendimento. A escolha dessas espécies garante ao produtor um aumento do seu produto final.

Quem diria que até em uma rosa existe tanta tecnologia?

Publicado em Tecnologia da Informação | Deixe um comentário

Tecnologia de informação e Agropecuária

Quem acha que a Tecnologia da Informação é coisa só da cidade, pode se surpreender com as inovações tecnológicas que vem sendo feitas no campo.

Isso mesmo, no setor agropecuário, apesar da timidez em que a TI é utilizada, oferece uma vasta área de aplicação. É tanto que a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) possui grandes ações de pesquisa e aplicação de novas tecnologias que possibilite a melhora do cultivo e da criação de animais.

Ações essas, como:

  • Geotecnologias, tais como sensoriamento remoto e geoprocessamento, para a execução do seu monitoramento e compreensão dos fenômenos condicionantes do solo;
  • Modelagem Agroambiental, consiste em analisar e propor medidas de adaptação aos novos cenários agrícolas, especialmente no que tange à questão das mudanças climáticas globais;

  • Bioinformática, projetos que têm o objetivo de encontrar soluções sustentáveis, que incorporem tecnologias inovadoras para culturas de importância econômica.

Todas essas ações, e outras mais, podem ser vistas no portal Embrapa Informática, o órgão disponibiliza no site informações e até capacitação para os produtores, técnicos e estudantes.

Todos nós sabemos que nosso estado desenvolveu historicamente a atividade agropecuária, hoje, as macrorregiões que dão maior importância esse tipo de economia são: Baturité; Sobral-Ibiapaba, com a agricultura irrigada; o Sertão dos Inhamuns, com a ovinocaprinocultura; Sertão Central, com a criação de bovinos, suínos e aves e de produção de leite; assim como o Litoral Leste-Jaguaribe.

Como podemos ver, cinco das oito macrorregiões têm vocação agropecuário, isso sem incluir as que desenvolvem o cultivo de flores, o Ceará possui grande potencial nesse setor.

Sendo assim, vale a indicação do curso de Biotecnologia para os alunos do ensino médio que buscam uma opção de vestibular nessa área.

Interessante, né?

Quem tiver mais dúvida acessem os links, comentem ou mandem um email para nosso contato.

Até mais.

Publicado em Tecnologia da Informação | Marcado com , , | Deixe um comentário

Que tal tingir sua roupa com refrigerante? Já pensou nisso?

O foco hoje da nossa prática de química é o setor têxtil de vestuário que é um dos ramos de atividades predominantes na região do Cariri e litoral Leste. A Rebeca (monitora de TI) abordou esse setor aqui no blog. clique aqui para ver.

A industria têxtil também trabalha com corantes no tingimento das roupas que fabrica. E que tal tingir sua roupa com refrigerante? Já pensou nisso? Vamos lá.

Materiais:

–  1 Refrigerante de dois litros ( pode ser de qualquer sabor e vai depender da cor que você quer tingir sua roupa)

– 1 saquinho de refresco (aquele que faz 1 litro. Pode ser de qualquer marca)

– Peça de roupa a ser tingida

1. Junte o refrigerante com o refresco ( o interessante é a mesclagem de cores. Escolhi o de laranja e refresco de laranja).

+

2. Misture bem até sair todo o gás do refrigerante ( a formação de bolhas indica a presença de gás).

3. Leve ao fogo e junte a peça de roupa que deseja tingir sempre mechendo a mistura.

4. Pra finalizar, depois de 30 minutos retire a roupa do fogo e lave com água da torneira.

O resultado pode ser esse aqui em baixo. Esse tom parecendo verde é   o refrigerante de uva. Esse tipo de tingimento é chamado Tie Dye ( feito por você mesmo)

Dá pra explanar bem o conteúdo sobre o uso dos corantes e de suas propriedades de como  aderem aos tecidos.

p.s: os tecidos deverão ser: Lã e Nylon. Dá certo com algodão, porém a cor vai ficar mais clara.

Gostaram? Envia um comentário ou se preferir você pode me encontrar no: graciquimica@yahoo.com.br

Graci,

Até a próxima prática.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Produção de Etanol na Região do Cariri

Durante as décadas de 70 e 80 a usina Manoel Costa Filho, de Barbalha, outrora a maior produtora do Ceará realizou trabalho pioneiro ao organizar os produtores regionais, padronizar o tipo adequado de cana para o plantio em suas propriedades e transformá-la em açúcar e álcool numa região abastecida por outras fontes. Estudos agronômicos apontam os solos caririenses e as espécies de cana com capacidade para triplicar a produção por hectare obtida na Zona da Mata nordestina.

O sul do Ceará tem tradição de 200 anos no plantio da cana- de- açúcar. Essa cultura se desenvolveu a ponto de fomentar a instalação de mais de 250 engenhos de rapadura, responsáveis pela abastecimento do Interior do Nordeste, onde havia forte tradição no seu consumo.

Fonte: Diário do Nordeste

Muito tem-se discutido sobre a produção em larga escala de etanol na região do Cariri. Diante de tal importância econômica não apenas para  essa região do Ceará, mas para o Brasil como um todo abordo hoje uma prática para a produçao de álcool etílico ( ETANOL) que pode ser realizado no laboratório da escola.

Materiais:

– Cal de construção

– Fermento Biológico

– Caldo de cana

1. Adiciona-se uma colher ( sobremesa) de cal à 200 mL de caldo de cana e leve a mistura ao fogo até ferver.

2. Espere a mistura esfriar e depois transfira a mesma para um recipiente grande (ex: bacia). Em seguida adicione o fermento biológico. Com a adição do fermento biológico ocorrerá a fermentação e liberação de CO2 ( gás carbônico). A fermentação total leva de seis a oito horas.

3. O próximo passo é fazer a destilação para obtermos somente o álcool. Transfira a mistura já fermentada para um balão volumétrico e em seguida faz-se a destilação. Com a destilação obteremos o álcool etílico (ETANOL). Pronto. Fizemos etanol na escola. Legal, né?

Separei um vídeo curto e rápido que vale a pena visualizar. É uma animação de como é feito o etanol a partir da cana de açúcar. Qualquer dúvida deixa um comentário ou entra em contato diretamente comigo: graciquimica@yahoo.com.br

Graci

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário